Canal do Poder

Home /

Notícias

Vereador diz que saúde pública de Xanxerê está em situação de calamidade

Sexta-feira, 17 de outubro de 2014, 11h08min

A saúde pública em Xanxerê tem sido um dos assuntos mais debatidos na Câmara de Vereadores. Os vereadores Flavio Filappi (PPS)e Adriano De Martini (PT) tiveram aprovadas quatro indicações para que a prefeitura, por meio da secretaria de Saúde, contrate médicos que atendam 40horas semanais nas Unidades Básicas de Saúde dos bairros dos Esportes, Vila Sésamo, São Romero e Nossa Senhora de Lourdes. Segundo os vereadores,mais de dez médicos deixaram o Sistema de Saúde municipal nos últimos meses. Também foi aprovada indicação para que seja feita a inauguração e aberturados postos de saúde dos bairros Nossa Senhora de Lourdes, Aparecida e Vila Sésamo, que não estão atendendo. O vereador Adrianinho disse que acompanhou na quarta-feira (15), a inauguração das reformas da Unidade de Saúde do bairro João Winckler.

“Das quatro que estávamos cobrando, uma foi inaugurada, mas vamos ainda cobrar a inauguração de outras três unidades de saúde. No bairro Aparecida, faz mais de seis meses que o posto novo está pronto, nos bairros Vila Sésamo e Nossa Senhora de Lourdes, os dois postos foram reformados e precisam ser inaugurados”, afirma. O vereador Flávio Filappi (PPS), que é médico, fez um diagnóstico preocupante da saúde no município. “Hoje temos na saúde pública de Xanxerê uma situação calamitosa, muito maior do que no início do mandato do atual prefeito.

Posso afirmar, categoricamente, porque temos três postos de saúde fechados, que deveriam estar funcionando. Além disso, temos postos a meio mastro, ou seja, tem dias que tem médico atendendo, em outros que não tem. Tem dias que atende quatro horas, tem dias que não tem. Tem dias que faz meio expediente, tem dias que não faz, e tem dias que não há nenhum profissional. Temos que fazer com que estas unidades de saúde realmente funcionem, com médico integral 40 horas, enfermeira, técnicos de enfermagem e agentes de saúde”, enfatiza, informando, ainda, que faltam agentes em todas as unidades de saúde do município, ou seja, mais de 20