Canal do Poder

Home /

Notícias

Receita Federal apresentará proposta de alfandegamento para Porto Belo

Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015, 21h56min

A comitiva liderada pelo prefeito Evaldo Guerreiro obteve resultados importantes para Porto Belo. Em reunião em Brasília, o coordenador-geral de Administração Aduaneira da Receita Federal, José Carlos de Araújo, se comprometeu a apresentar uma solução para o problema de nacionalização de navios transatlânticos em Porto Belo até o final do ano.

De imediato, os portos alfandegados de Santa Catarina poderão novamente auxiliar Porto Belo no procedimento. Em maio, a Receita Federal deverá apresentar um esboço da proposta para alfandegamento do Porto Turístico de Porto Belo, o primeiro do Brasil.

Evaldo agradeceu ainda o empenho da ministra Ideli Salvatti, do Secretário Nacional de Políticas Públicas para o Turismo, Vinicius Lummertz, e o Secretário de Articulação Nacional do Governo do Estado, Acélio Casagrande, do senador Dario Berger, e dos deputados Mauro Mariani e Esperidião Amim. A comitiva do município foi formada pelo prefeito, vice, Giovanni Voltolini, presidente da Fundação de Turismo, Claudio de Souza, o presidente da Câmara de Vereadores, Jonas Amadeu Raulino, e os vereadores Joel Lucinda, João Mendes e Estevão Guerreiro.

Na reunião, o presidente da Abremar (Associação Brasileira de Empresas Marítimas), Marco Ferraz, destacou que aproximadamente 100 escalas de navios passaram pela costa catarinense nesta temporada sem fazer parada. Para ele, se a decisão vir até outubro, o município poderá ter até 25 % de novas escalas para a temporada 2016/2017. 

Os catarinenses buscavam em Brasília, a possibilidade de Porto Belo receber navios que viajam em águas internacionais. O procedimento de nacionalização, feito até pouco tempo em Imbituba, permitia o município receber embarcações vindas de Uruguai e Argentina. Para o prefeito, o impasse causou prejuízos não só para Porto Belo, mas também Santa Catarina. "Pedimos ajuda para a ministra Ideli Salvatti por que sabemos que não é só a questão técnica envolvida, mas sim política. Hoje, a cidade de Ilha Bela tem as mesmas características de receptivo que Porto Belo. Não há porque ter essa diferenciação", destacou.