Canal do Poder

Home /

Notícias

Deputada Luciane reivindicará ampliação dos recursos para o HRO em audiência nesta quarta-feira

Segunda-feira, 24 de outubro de 2016, 19h23min

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), por meio da Comissão de Saúde, convocou para esta quarta-feira (26) uma audiência para que a Secretaria de Estado da Saúde preste conta dos investimentos realizados na área.

Na reunião que ocorre às 9h, no Plenarinho, a deputada estadual Luciane Carminatti (PT) reivindicará como prioridade o aumento de repasse para o Hospital Regional do Oeste (HRO) – que hoje é um dos que proporcionalmente menos recebe recursos do Governo do Estado em relação ao número de atendimentos realizados.
 

O secretário João Paulo Kleinubing deverá responder quais são os critérios que definem o repasse da verba. “O recurso destinado ao Hospital Regional é mais uma prova de que o Oeste de SC é sempre castigado.

Tudo chega depois e em menor proporção”, lembra Luciane, citando outros exemplos como a defasagem na estrutura da segurança pública e a chegada tardia e com poucos cursos em andamento da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).
 

Informações de 2013 – os dados mais recentes aos quais a deputada teve acesso – mostram que o HRO, com 297 leitos, recebeu R$ 15,7 milhões do Estado.

O Hospital Regional de Araranguá, com cerca de metade dos leitos (151), recebeu R$ 16,5 milhões no mesmo período. Já o Hospital Nereu Ramos de Florianópolis tem 105 leitos e recebeu cerca de R$ 32 milhões.


“Precisamos compreender quais são os critérios utilizados para essa má distribuição dos recursos públicos de Santa Catarina. O Hospital do Oeste atende uma região com mais de 25 municípios e população de 1 milhão de habitantes.

Realiza em torno de 1,4 mil cirurgias por mês e 1,7 mil internações por mês, mas é um dos que menos tem aporte financeiro do Estado.

Vamos solicitar o apoio de todos os deputados da região, inclusive do presidente da Assembleia, porque queremos que os recursos sejam repartidos com mais igualdade entre as regiões”, avalia Luciane.