Canal do Poder

Home /

Notícias

Águas Limpas de Lages

Quinta-feira, 13 de novembro de 2014, 19h59min

Na manhã desta quinta-feira (13) o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) de Lages, força-tarefa composta pelo Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC), Policias Militar e Civil e Secretaria Estadual da Fazenda, deu continuidade a operação batizada “Águas Limpas de Lages”, realizando o cumprimento de mandados de prisões temporárias e buscas e apreensões no município de Lages, em Santa Catarina.

A operação foi deflagrada na noite desta quarta-feira (12), ocasião em que um servidor público municipal de Lages foi preso em flagrante, juntamente com dois empresários, recebendo uma bolsa com dinheiro (propina), no valor de R$ 165 mil.

Os três agentes, juntamente com outro servidor municipal, que também foi preso por força de mandado de prisão temporária, foram encaminhados ao Presídio Regional de Lages.

O Gaeco de Lages investiga supostos crimes de associação/organização criminosa, fraudes em licitações, crimes contra a administração pública, em especial, corrupção, com a participação direta de servidores públicos municipais e empresários.

Em síntese, o esquema criminoso operava uma trama na Secretaria Municipal de Águas e Saneamento de Lages onde empresários pagavam propinas a servidores públicos municipais para ter os seus interesses atendidos, ou seja, direcionamento de editais licitatórios, frustrando a competitividade do certame.

A operação “Águas Limpas de Lages” teve desdobramentos ainda no município de Curitiba, no Paraná, na matriz da empresa responsável pelos serviços de operação e manutenção dos sistemas de abastecimento de água, de esgotamento sanitário e comercial da cidade de Lages e do distrito de Santa Terezinha do Salto.

Ao todo, foram expedidos pelo Poder Judiciário, três mandados de prisão temporária e seis de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos por Promotores de Justiça e por Policiais dos Gaeco's de Lages, Capital, Itajaí, Joinville e Chapecó, com o apoio do Instituto Geral de Perícias (IGP).