Canal do Poder

Home /

Notícias

Deputado Silvio Dreveck contesta decisão do presidente do PP em apoiar governo

Quinta-feira, 7 de abril de 2016, 21h24min

O deputado estadual Silvio Dreveck (PP) fez um pronunciamento contundente na tribuna da Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (7) manifestando contrariedade sobre a decisão do presidente nacional do Partido Progressista em permanecer na base de apoio do Governo.

O parlamentar ressaltou que a decisão de Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, foi monocrática e arbitrária, tendo em vista que não houve nenhuma forma de votação para que a questão fosse avaliada pelos diretórios.

Dreveck ainda lembrou que o presidente da sigla agiu de forma semelhante quando decidiu, sem votação, apoiar a candidata Dilma Rousseff na convenção nacional de 2014.

Ao final do pronunciamento, o deputado afirmou o Partido Progressista em Santa Catarina mantém a posição, deliberada democraticamente, a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

“Os deputados federais Esperidião Amin e Jorge Boeira já manifestaram publicamente seus votos e a bancada estadual segue o mesmo direcionamento. Não é possível aceitar esta atitude do presidente Ciro Nogueira em declarar apoio ao atual governo em nome do Partido Progressista catarinense.”, finalizou.

Os deputados progressistas José Milton Schaeffer e Deka May, presentes no plenário, apoiaram o pronunciamento.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

No dia 06/04/2016, o presidente nacional do Partido Progressista, senador Ciro Nogueira, anunciou à imprensa que o partido permanece na base de apoio do governo. Esta decisão foi tomada arbitrariamente pelo presidente, que ignorou princípios democráticos quando não promoveu nenhuma forma de votação para que a questão fosse avaliada pelos diretórios.

É preciso relembrar que esta não é primeira vez que o presidente Ciro Nogueira age desta forma. Na convenção nacional do Partido Progressista, em junho de 2014, a ampla maioria declarava apoio ao candidato da oposição, na época Aécio Neves. Nogueira, vislumbrando a derrota caso a votação fosse aberta, optou por encerrar a reunião e declarar pelo apoio a candidata Dilma Rousseff.

Ao final da reunião, o presidente foi escoltado pela polícia do congresso até seu gabinete, onde fez a ata e encaminhou à justiça eleitoral.

Esta atitude levou diversos diretórios estaduais do Partido Progressista a entrarem na justiça para exigir uma votação. Infelizmente a ação foi perdida, mas a convenção estadual em Santa Catarina comprovou através de votação unânime que o PP/SC apoiaria o candidato da oposição Aécio Neves.

O Partido Progressista de Santa Catarina mantém uma posição firme, deliberada democraticamente, a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Os deputados federais Esperidião Amin e Jorge Boeira já manifestaram publicamente seus votos e a bancada estadual segue o mesmo direcionamento.

Não é possível aceitar a atitude monocrática e autoritária do presidente Ciro Nogueira em declarar apoio ao atual governo em nome do Partido Progressista catarinense.