Canal do Poder

Home /

Notícias

Governador inaugura nova penitenciária em Chapecó e anuncia obra

Quinta-feira, 17 de março de 2016, 8h12min

O Governador do Estado Raimundo Colombo estará em Chapecó nesta quinta ( 17), a noite, onde participa da posse da nova diretoria da ACIC – Associação Comercial e Industrial de Chapecó no Clube Recreativo Chapecoense.

Na sexta feira (18), na sede do 2° BPM – Batalhão da Policia Militar de Chapecó, concede entrevista coletiva a imprensa a partir das 08.00h,faz o lançamento de edital de licitação para construção da CRE – Central Regional de Emergência e faz a entrega a PM de 02 veículos para das Bases Móveis da PMSC. Em seguida, as 10.00h, procede a inauguração da Unidade II da Penitenciária Industrial da Região de Chapecó.

A Central Regional de Emergência deverá construída no terreno localizado em frente a sede da PM, no centro da cidade com recursos do PCTO POR SC, no valor de R$ 2,4 milhões. O prédio vai abrigar as unidades do SAMU, central de videomonitoramento e o Corpo de Bombeiro Militar. O prazo de execução será de 18 meses, com data a partir da emissão da ordem de serviço.

A Unidade II do Complexo Penitenciário Industrial de Chapecó, esta localizada ao final da Rua Cunha Porã, bairro Efapi, Chapecó/SC. Terá 599 vagas distribuídas em 8,6 mil metros quadrados, que incluem área de saúde, espaço para educação e áreas para instalação de empresas que empregarão apenados, além do espaço de vivência dos reeducandos, com áreas de banho de sol, espaço para visita familiar e atendimento dos advogados.

A obra segue todas as diretrizes de arquitetura prisional do Conselho Nacional de Politica Criminal e Penitenciária, em consonância com os padrões internacionais de respeito à humanização e aos princípios básicos dos Direitos Humanos. O custo da obra é de 30,7 milhões de reais e a origem dos recursos é do Pacto Por Santa Catarina (BNDES).

Na oportunidade também serão assinados convênios entre o Estado e empresas que oferecerão mão de obra aos apenados da nova penitenciária, seguindo o programa de ressocialização implantado na atual gestão, desde 2011.

No programa, os apenados recebem a oportunidade de aprender um ofício com mão de obra qualificada, adquirem experiência profissional e são remunerados com, pelo menos, um salário mínimo, além de terem um dia da pena reduzido a cada três dias trabalhados.